(in)delicadeza de amar.

Páginas

quinta-feira, 17 de março de 2011

Eu podia ver nos seus olhos, que você honestamente acreditou que eu não te queria mais. O conceito mais absurdo, mais ridículo – como se houvesse alguma forma de eu existir sem precisar de você!


Lua nova