(in)delicadeza de amar.

Páginas

segunda-feira, 28 de março de 2011

 Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. 
Mas o que tinha - e tenho - era - e é - seu.
Caio F. Abreu