(in)delicadeza de amar.: 01/01/14 - 01/02/14

Páginas

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Tumblr_mivnt4olym1r90c1go1_500_large

Ei, não tenta entender as voltas que eu dou sozinha. Deixa só um mistério estranho de filme trash. Ninguém quer descobrir o que há por trás da mulher diferente, mas ela ainda é a mulher diferente que deve ser descoberta.  
Passo horas falando pra ficar muda de repente, passo toda a segurança do mundo pra me derrubar em medos bobos. É que tudo fica mais legal em constante mudança. E eu nem sei mais ser a mesma sempre.

 Verônica H

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

310762_275959489110753_100000901117591_898192_1623498233_n_large


Me entender é muito simples, é só se por no meu lugar, ver com meus olhos, sentir com as minhas mãos, caminhar com as minhas pernas, amar com o meu coração, sofrer como eu sofri e lembrar-se dos detalhes importantes que eu nunca mencionei.


Dona Geo



9 meses que eu e você ocupamos o mesmo espaço.
9 meses...

Não tenho palavras para descrever a emoção que sinto em saber que esta chegando o dia, meu Deus esta chegando o dia!
Chorei muito durante esse tempo, no início eu não queria aceitar e depois de ter aceito não quis aceitar que não te aceitassem, chorei por muitos motivos, o principal foi o medo, medo de amadurecer principalmente, medo de cuidar de uma vida (não sei nem cuidar da minha), medo de ter que ser exemplo, um bom exemplo, medo de quem eu iria me tornar, medo de virar careta, de deixar de viver a minha juventude (acabou a adolescência). Como eu ia carregar um ser tão pequeno e frágil? Como dar banho nesse ser? Como amamentar? Como trocar uma fralda? E meu corpo, como ficaria? Foram tantos medos, tantas dúvidas, mas agora só sinto alegria e pressa, você está pesando, me deixando cansada, inchada, sentimental e com sono.
O ser agora tem nome definido, e tem uma mãe (que sou eu, eu sou mãe rs) que a ama muito, que vai fazer o possível pra te transformar em uma pessoa especial.
Te amo muito, de um jeito que ainda não sei decifrar, não vejo a hora de te ter em meus braços minha filha.

Jade Stephani




domingo, 19 de janeiro de 2014


No dia em que me livrei de uma forte depressão, prometi a mim mesma nunca mais desistir de mim, por maior que fosse o sofrimento, por mais difícil que fosse a provação, por mais pesada que fosse a culpa e por mais tediosa que fosse a fase.
Prometi também jamais desistir das pessoas, jamais desistir do amor, de amar, afinal não foi o amor das pessoas por mim que me fez ver o lado bom da vida, não foi o amor de Deus que me livrou da vontade constante de cometer suicídio?  Pois é, pode parecer estranho pra você que não sou eu, mas mesmo nesse instante em que sofro por amar errado, não vejo a hora de que isso vire lembrança, vire aprendizado e que eu ame outro de novo e de novo e de novo, até achar a pessoa certa, ou não. A minha vida não teria graça nenhuma sem a emoção tremenda de estar amando, a inspiração de sofrer por amor e de lembrar dos bons momentos, quando tudo era eterno. 

Jade Stephani



Quando eu odeio é com tudo que tenho.

Quando eu sinto saudade, choro até dormir.
Quando eu fico triste posso tocar o fundo do poço.
Quando eu me apaixono fico totalmente cega.
Quando eu gosto vou até o talo.
Quando eu quero, eu nunca paro.
Quando eu desisto é pra nunca mais tentar.
Quando eu perdôo é pra nunca mais lembrar.
Quando eu esqueço, mato de dentro de mim.
Quando eu lembro, posso até sentir a presença.
Quando eu choro é pra desidratar.
Quando eu grito é pra deixar surdo.
Quando eu me calo é pra torturar.
Quando eu brigo é até te enlouquecer.
E quando eu amo é até sangrar.


Carol Eller


Amei e não me culpo. O amor não é um laço para o arrependimento, mas sim o caminho do amadurecimento. Não poupar o beijo, não tardar a pele. Conhecer-se na entrega: estar no outro para poder "se estar". Deitar sem a pressa do relógio, permitir o delírio das palavras flutuantes com o corpo em um abraço. Pousar a mão sobre o peito e esquecer-se. Repousar a cabeça sobre o coração do outro e ser embalado pela sua respiração. Vivo de ser livre me prendendo em outras mãos. Amar como se o dia-a-dia não existisse. Amar com o mais profundo que pudermos sem economizarmos os “euteamo”. No final doerá, sempre doerá e será dilacerante. Mas se a dor não poupa, porque pouparemos na intensidade do que nos causa?

Cáh Morandi





Era uma vez 
uma mulher que
 via um futuro grandioso 
para cada homem 
que a tocava. 
Um dia ela se tocou. 

Alice Ruiz





sábado, 18 de janeiro de 2014


Mewkmqr0m05hl8zaaa_large

Obrigado,
Por eu ter te amado com a fidelidade de um bicho amestrado 
Pelos dias de cão, muito obrigado,  
Pela frase feita, por esculhambar meu coração antiquado e careta  
Me trair, me dar inspiração 
Obrigado,  
Por ter se mandado, ter me acordado pra realidade  
Das pessoas que eu já nem lembrava pareciam todas ter a tua cara  
Obrigado,  
Por não ter voltado pra buscar as coisas que se acabaram  
E também por não ter dito obrigado, ter levado a ingratidão bem guardada



♪ Cazuza

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014








Amar dói tanto que não dói mais. 
Como toda dor que de tão insuportável produz anestesia própria.

Tati Bernardi