(in)delicadeza de amar.: Muito minha.

Páginas

quinta-feira, 17 de março de 2011

Muito minha.

Eu não sei se eu devo ganhar essa batalha, não sei se tenho condições, se mereço assumir a direção. Talvez essas meninas medíocres aqui dentro sejam mais eu do que eu mesma. Dá pra entender onde eu quero chegar? Esse meu lado consciente, esse momento de sobriedade não é maioria em mim. Que poder tenho sobre os votos de uma população gigantesca de personalidades, todas unidas contra uma só - contra mim?


Tô precisando ser diferente, cada vez mais descubro que ser eu não tem nada a ver comigo.

Verônica H.