(in)delicadeza de amar.

Páginas

sexta-feira, 29 de abril de 2011

 
Há tempos estou vivendo uma estória-de-amor-impossível que rebenta a saúde: sei que não dá pé de jeito nenhum e não consigo me libertar, esquecer.