(in)delicadeza de amar.

Páginas

sábado, 7 de maio de 2011

A minha vida é meu livro
Meus caminhos são as palavras, frases incertas
Que parecem não levar a nenhum lugar
Mas meus erros... não tenho como apagar.

Minha alma é o reflexo, das regras que não sigo.
Me traduzo pelas palavras que sinceramente eu não vivo
Me identifico pelas estrofes que não consigo escrever
E meu amor se resume em versos incoerentes
Apenas aos meus pensamentos parecem se esconder
O erro pra mim esta na terceira pessoa,
Só nela se encontra o defeito
Ele sozinho é um desperdício
O nós é perfeito.

Dentro da minha obra literária
Alguns são páginas, pouquíssimos são capítulos, e muitos apenas virgulas.
Todos importantes, personagens que descrevem o autor,
Pois quando escrevo sobre você revelo muito mais sobre mim
E o sentimento não para de criar palavras, frases, versos
E parece que só ali o universo, conspira ao meu favor