(in)delicadeza de amar.

Páginas

segunda-feira, 13 de junho de 2011



Não espero nenhum olhar, não espero nenhum gesto, não espero nenhuma cantiga de ninar. Por isso estou vivo. Pela minha absoluta desesperança, meu coração bate ainda mais forte. Quando não se tem mais nada a perder, só se tem a ganhar.
Caio Fernando Abreu