(in)delicadeza de amar.

Páginas

terça-feira, 25 de outubro de 2011

021-20111022_large


A todos trato muito bem sou cordial, educada, quase sensata, mas nada me dá mais prazer do que ser persona non grata, expulsa do paraíso uma mulher sem juízo, que não se comove com nada cruel e refinada que não merece ir pro céu, uma vilã de novela mas bela, e até mesmo culta estranha, com tantos amigos e amada, bem vestida e respeitada. Aqui entre nós melhor que ser boazinha é não poder ser imitada.


Martha Medeiros