(in)delicadeza de amar.

Páginas

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

1hoje_large


A gente finge que arruma o guarda-roupa, arruma o quarto, arruma a bagunça. Tira aquele tanto de coisa que não serve, porque ocupar espaço com coisas velhas não dá. As coisas novas querem entrar, tanta coisa bonita nas lojas por aí. Mas a gente nunca tira tudo. 


Caio Fernando Abreu