(in)delicadeza de amar.

Páginas

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011







Sinto dizer que amo mesmo, tá ruim pra disfarçar (...)

E quando eu falo que eu já nem quero, a frase fica pelo avesso meio na contra-mão.
E quando finjo que esqueço, eu não esqueci nada.
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais, e te perder de vista assim é ruim demais.
E é por isso que atravesso o teu futuro, e faço das lembranças um lugar seguro.
Não é que eu queira reviver nenhum passado, nem revirar um sentimento revirado.

Mas toda vez que eu procuro uma saída, acabo entrando sem querer na sua vida. 


♪ Ana Carolina - Quem de nós dois.