(in)delicadeza de amar.

Páginas

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013




Porque o coração nem sempre é mocinho. Foi por isso que corri, tentei fugir, mas quando tem que ser, não adianta, será.

Caio Fernando Abreu