(in)delicadeza de amar.

Páginas

quarta-feira, 29 de maio de 2013



Eu não me acho, eu sou! Sou tudo aquilo que me dá na telha. Eu não me fixo. Estou aqui, mas minha cabeça já está lá, para que quando eu estiver lá possa lembrar do que fui quando estive aqui! Eu não me determino, apenas me imponho. Tenho vontades que amanhã posso não mais tê-las. Eu não acordo, eu desperto para o prazer. Eu não durmo, eu descanso após o gozo de ter experimentado mais um dia. Eu gosto de brilho, por isso gosto de fazer os outros sorrirem! Isso sim é estar sob os holofotes!

Dri Cassimiro