(in)delicadeza de amar.

Páginas

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011



Eu costumo depositar a minha esperança onde não se deve depositar nada, eu costumo confiar demais, me arrepender demais. Costumo ser intensa em tudo o que eu faço - e muitas vezes no que eu não faço também. Sorrisos me animam e me curam. Não sou a mais bonita, e se você me ver na rua nem vai se preocupar em falar comigo. Eu não me encaixo em nenhuma divisão da sociedade, sou o tipo de garota sem tipos. Sou complicada, eu sei. Prazer, essa sou eu, e não mudo por nada.