(in)delicadeza de amar.: Só as histórias que começam com "era uma vez." terminam com "felizes para sempre.

Páginas

quarta-feira, 16 de março de 2011

Só as histórias que começam com "era uma vez." terminam com "felizes para sempre.

...depois de 5 anos sem se verem ela decide ir na casa dele no dia do seu aniversário.
 Antes que ela pudesse chamar no portão, ele saiu com uma mulher grávida ao seu lado. Ela tentou desviar e fingir que não o viu, mas ele a chamou.
- Laura?!
Ela olhou para ele e deu um sorriso meio forçado. - Oi Matheus, quanto tempo..
 A mulher que estava com ele, entrou no carro. 
 Ele disse olhando-a fixamente. - Nossa que coincidência você aparecer depois de tantos anos bem no dia do meu aniversário. Como você esta?
 - É... eu estou bem graças a Deus e você, como esta? Feliz aniversário. - estendeu a mão para ele em sinal de cumprimento e ele lhe deu um abraço rápido e a respondeu:
 - Obrigado. Estou ótimo também.
 A mulher que o acompanhava o chamou. 
E ela disse:
 - Há, então esta tudo bem, vou nessa, se cuida!
 - Ta bom, se cuida também...

 Ela voltou para casa arrasada, pensando que ele já tinha uma familia e ela ainda não tinha o esquecido. E continuou levando a mesma vida, só que conformada que não teria jeito de o ter.
 Ele entrou no carro e contou pra irmã dele que ela era a garota que ele sempre falou que amava e foi embora por causa dele. A irmã dele disse porque que ele não contou para a garota que ainda gostava dela, e ele disse por medo da resposta.


(...)

"Eu te amei muito. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim." C.F.A