(in)delicadeza de amar.

Páginas

quarta-feira, 20 de abril de 2011

"Me perguntam, assim, o que tu achas de tal coisa. Pô, eu não sei o quê que eu acho. Na hora eu acho uma coisa, meia hora depois eu posso achar outra. Eu não tenho opinião definida sobre naa. Não acho que isso seja insegurança. Acho que é abertura, acho que tudo é passível de uma outra interpretação."