(in)delicadeza de amar.

Páginas

terça-feira, 12 de julho de 2011


E escrever, que sempre foi a única coisa que adiantava para os dias passarem menos absurdos, já se tornou algo ridículo. Escrever sobre você de novo? De novo? Tenho até vergonha. Nem eu suporto mais gostar de você.


Tati Bernardi