(in)delicadeza de amar.

Páginas

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014




Amar dói tanto que não dói mais. 
Como toda dor que de tão insuportável produz anestesia própria.

Tati Bernardi