(in)delicadeza de amar.

Páginas

terça-feira, 9 de agosto de 2011



— Às vezes sinto falta de mim.
— Eu também, menina.
— Sente falta de si?
— Não, de você. E dói.
(Silêncio)
— Me abraça?
— Sempre.


Caio Fernando Abreu