(in)delicadeza de amar.

Páginas

domingo, 19 de janeiro de 2014


No dia em que me livrei de uma forte depressão, prometi a mim mesma nunca mais desistir de mim, por maior que fosse o sofrimento, por mais difícil que fosse a provação, por mais pesada que fosse a culpa e por mais tediosa que fosse a fase.
Prometi também jamais desistir das pessoas, jamais desistir do amor, de amar, afinal não foi o amor das pessoas por mim que me fez ver o lado bom da vida, não foi o amor de Deus que me livrou da vontade constante de cometer suicídio?  Pois é, pode parecer estranho pra você que não sou eu, mas mesmo nesse instante em que sofro por amar errado, não vejo a hora de que isso vire lembrança, vire aprendizado e que eu ame outro de novo e de novo e de novo, até achar a pessoa certa, ou não. A minha vida não teria graça nenhuma sem a emoção tremenda de estar amando, a inspiração de sofrer por amor e de lembrar dos bons momentos, quando tudo era eterno. 

Jade Stephani